LAURO DE FREITAS CONTRACORRENTE: EDUCAÇÃO E UNIVERÃO

Paulo Gabriel Nacif

A prefeitura de Lauro de Freitas definiu por discutir uma nova perspectiva para o verão do Brasil e propôs a realização de um programa de universidade de verão, articulando todas as suas secretarias e instituições públicas do Brasil. É assim que de 15 a 21 de janeiro cerca de duzentos docentes, estudantes e técnicos de instituições públicas de educação, ciência e cultura do Brasil desenvolverão mais de 130 atividades em todo o território desse município, ação inédita no Brasil. Todas as atividades são gratuitas e esses profissionais não cobraram por suas participações. Participam dessas atividades profissionais ligados a universidades públicas, SBPC, Secretarias do Estado, ONG´s, professores e técnicos da rede municipal de Lauro de Freitas.

Os problemas da educação de Lauro de Freitas não estarão resolvidos com a realização da UNIVERÃO – nunca foi esse o objetivo desse programa, mas é certo que os debates e a sua própria realização apontam a vontade política de colocar, cada vez mais, a educação, como central na vida da nossa comunidade. Colocar a educação em evidência faz parte da estratégia para encontrar caminhos coletivos para a sua evolução.

Ao contrário do que propagam alguns, a UNVERÃO foi organizada com grande participação das instituições parceiras e não demandou esforços concentrados da equipe da educação básica do município. Recebemos esses apoiadores de todo o Brasil como um presente dos que querem apoiar a educação de um lugar tão carente como é Lauro. Há uma minoria que considera essas pessoas intrusas e desterritorializadas, mas essa não é a posição da imensa maioria do povo Laurofreitense.

Afinal, o que uma Prefeita que navegando contracorrente de uma área metropolitana que respira festas, deseja com uma atividade tão diferenciada? O que faz um político associar recursos tradicionalmente vinculados a outras áreas para financiar uma atividade como a UNIVERÃO? Há quem considere que essa liderança e seus assessores estão equivocados, atrasados. Numa época em que todos se voltam para atividades festivas cada vez mais descontextualizadas e pasteurizadas, no momento em que a exploração da cultura do estupro ganha o máximo de destaque, num período em que a política é feita com base em pesquisas do IBOPE, para alguns fica a sensação de que o grupo político que lidera a prefeitura de Lauro de Freitas caminha contracorrente ao propor algo tão diferenciado.

Felizmente assistimos a esse debate: Imagine se Lauro definisse por realizar uma grande grade de shows como todos os seus vizinhos? Ninguém questionaria, como nunca questionou! Num período de mudanças de paradigmas precisamos de lideranças que não busquem apenas ser ressonância da média do pensamento das bases, como vemos nas políticas sindicais e partidárias. Precisamos de lideranças capazes de criar o novo, indo contracorrente.

Acreditamos que a Univerão é um projeto genuíno que foi criado em Lauro para consolidar-se a longo prazo e como repetimos diversas vezes nas conversas com os trabalhadores da educação, nossa meta é que ele seja construído cada vez mais por dentro da nossa rede de educação básica.

É por iniciativas como essas que a Prefeita Moema Gramacho se destaca como uma das principais lideranças políticas do Brasil. A vontade de priorizar a educação no seu Governo vai muito além da UNIVERÃO. Vale lembrar, os professores de Lauro de Freitas receberam em 2017 um dos maiores reajustes dentre os municípios de todo o Brasil. Realizamos recentemente uma licitação para a manutenção das escolas e o início das aulas em 2018 ocorrerá em condições muito superiores a de 2017. E, é certo, cada ano melhoraremos mais.

Que a Prefeita Moema tenha força para continuar indo contracorrente, afinal nada mais necessário no mundo de hoje do que lideranças autônomas e que nos apontem caminhos novos e, nesse sentido, Lauro de Freitas tem muito que se orgulhar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *